Embora seja em um ambiente virtual, o e-commerce também requer dos gestores muitos cuidados similares aos que empresas físicas demandam.

Controle gerencial, análise de relatórios, emissão de documentos fiscais, controle de estoques, definição de meios de pagamentos e recebimentos são alguns exemplos desses cuidados.

O aumento das transações envolvendo valores e informações pessoais e confidenciais atrai, cada vez mais, a ação de criminosos virtuais.

Esse é o tema do nosso artigo, e de importante leitura, para você que empreende com marketplaces ou lojas virtuais.

Práticas criminosas comuns

Os atos criminosos mais corriqueiros são:

  • furto e divulgação de informações pessoais;
  • invasão de privacidade;
  • calúnia;
  • realização de compras usando identidade de terceiros.

Dispositivos mais vulneráveis

A popularização de tecnologias tem permitido que diferentes tipos de aparelhos sejam usados para as práticas delituosas.

Portanto, a conexão com a internet é o requisito mais importante para que ela aconteça; o tipo de aparelho conectado já não é tanto um empecilho para a ação dos crakers (hackers criminosos).

Sabendo disso, é necessário cuidado não apenas no uso de computadores, mas também de tablets, smartphone, notebooks, netbooks, e até mesmo televisores digitais podem ser alvos de invasão.

A invasão

As formas mais comuns de invasão são através da entrada nos dispositivos de aplicativos que parecem inofensivos, mas que permitem ao invasor controlar remotamente ou receber informações.

Depois de invadido, ele poderá travar o equipamento, apagar arquivos, roubar senhas e instalar programas.

Prática comum é a criação de páginas falsas de internet para enganar usuários e fazê-los dar informações pessoais.

O que diz a lei

Leis importantes que buscam regular as atividades ocorridas no espaço virtual e que também visam coibir esse tipo de prática são as conhecidas como o Marco Civil da Internet (Lei 12.965/2014) e a Lei Carolina Dieckmann (Lei 12.737/2012).

Marco Civil da Internet

A Lei 12.965/2014 estabelece diretrizes que buscarão direcionar o comportamento dos usuários da internet, através da evidenciação de direitos, deveres, princípios e garantias.

Seu texto se baseia no respeito a outros direitos já adquiridos e visa fortalecê-los. Exemplo de alguns deles são os constantes no artigo 5 da Constituição Federal do Brasil.

Lei Carolina Dieckmann

A Lei 12.737/2012 trata de forma mais direta sobre o uso criminoso do ambiente virtual, especificando aquelas condutas consideradas como ação criminosa e trazendo as punições para as respectivas infrações.

Ela trata diretamente dos seguintes crimes:

  • invasão de dispositivos virtuais;
  • interrupção ou perturbação de serviço telegráfico, telefônico, informático, telemático ou de informação de utilidade pública;
  • falsificação de documento particular;
  • falsificação de cartão.

Cuidados com suas vendas online

Busque sempre deixar canais de comunicação abertos com seus clientes. Caso ocorra algum problema envolvendo sua empresa, poderá agir o quanto antes, minimizando os danos.

Disponibilize informações da empresa como CNPJ e telefones, para que o consumidor confirme a existência de sua loja.

Ter no portal comentários de outros clientes na sua loja virtual ou marketplace fortalece a credibilidade do seu negócio, identifica pontos a serem melhorados e passa mais credibilidade aos novos compradores.

Assegure-se de que os programas responsáveis pelas informações de pagamento sejam seguros e protegidos.

Use programas de integração ERP de confiança, como o All Integra, que também irá lidar com informações pessoais de seus clientes.

Procure adquirir bons antivírus, firewalls, e outros programas de proteção que são imprescindíveis à segurança das informações do seu negócio e nunca se esqueça de fazer cópias de segurança (backups) de seus dados. Salvá-los em dois ou três locais seguros em hadwares off-line garante que, em caso de uma infecção, eles possam ser recuperados.

Apesar das muitas facilidades em se trabalhar com vendas online, seja em marketplace ou loja virtual, existem peculiaridades para as quais se deve atentar. A segurança eletrônica é uma delas, pois descuidos podem trazer prejuízos a empresários e clientes. Busque sempre estar atualizado sobre novas maneiras de invasão e proteção; e evite ser pego desprevenido por criminosos virtuais. Use softwares de qualidade para lidar com as informações do seu negócio, como o All Integra, que agilizam seus processos e garantem mais controle e segurança.

Quer saber mais como o All Integra pode ajudar nas rotinas de seu marketplace ou loja virtual? Clique aqui e entre agora em contato conosco!